Última Notícia

Semana Especial na Sarau. Confira!

15 e 16 Outubro (terça e quarta) KARAOKÊ com Caipirinha em Dobro até as 22h - abre às 18h30 - Consumado R$ 10,00

17 Outubro (quinta) TECO MARTINS - lançamento Disco Logos Solar -  Abertura: Luti Barbosa e Oldison Klock  - aberto a partir das 18:30 e Show às 21:00 Antecipado R$ 10,00 (c/Luti Barbosa 54 98106.7110 e na Hora: R$ 20,00

18 Outubro (sexta) KARAOKÊ DE SEXTA - com Caipirinha em Dobro até as 22h - abre às 18:30 - Consumado R$ 10,00

19 Outubro (sábado) 3ª Edição do Entardecer Filosófico da Práxis - O QUE A FILOSOFIA TEM A DIZER SOBRE O RACISMO? Ensaio com o Prof. Dr. André Brayner de Farias (UCS/PUCRS) às 18:00 - Gratuito e Após Show Acústico com DIEGO RAIMUNDO - música autoral e interpretações do rock ao baião - R$ 10,00 

E aproveite tudo de bom que a Sarau oferece! agora com menu de pratos!

A Cachaçaria Sarau

A Cachaçaria Sarau é um espaço de lazer e descontração, onde você pode degustar variedade de cachaças artesanais, especialidade da casa.

As cachaças são maturadas com esmero, considerando o tempo adequado para cada uma. Frutas, ervas, madeiras, raízes e flores são alguns dos ingredientes. Também tem em seu cardápio a mundialmente conhecida caipirinha, além de destilados, cervejas, sucos, petiscos e muito mais.

Tudo isso em um ambiente super acolhedor, localizado na Rua Coronel Flores, no Largo da Estação Férrea, ponto de encontro dos happy hours e noites caxienses. Algumas vezes por semana a casa conta com show ao vivo e em outras com DJ, sempre com o intuito de animar ainda mais seu público.

Não deixe de conferir e aproveitar tudo de bom que a Cachaçaria Sarau oferece.

História da Cachaça

A cachaça é genuinamente brasileira. Bebida feita da fermentação e destilação do melaço da cana-de-açúcar, foi descoberta pelos escravos dos engenhos de açúcar em meados do século XVI. O método já era conhecido e consistia em moer a cana, ferver o caldo obtido e, em seguida deixá-lo esfriar em fôrmas, obtendo a rapadura, com a qual adoçavam as bebidas.

Ocorre que, por vezes, o caldo desandava e fermentava, dando origem a um produto que se denominava cagaça e era jogado fora, pois não prestava para adoçar. Alguns escravos tomavam esta beberagem e, com isso, trabalhavam mais entusiasmados.

Os senhores de engenho, por vezes, estimulavam aos seus escravos, mas a corte portuguesa, vendo nisto uma forma de rebelião, proibia que a referida bebida fosse dada aos negros.

Com o tempo esta bebida foi aperfeiçoada, passando a ser filtrada e depois destilada, sendo muito apreciada em épocas de frio.

O processo de fermentação com fubá de milho remonta aos primórdios do nascimento da cachaça e permanece até hoje com a maior parte dos produtores artesanais.

Curiosidades sobre a cachaça

A cachaça é a terceira bebida destilada mais consumida no mundo e a primeira no Brasil. Segundo o Programa Brasileiro de Desenvolvimento da Aguardente de Cana, Caninha ou Cachaça (PBDAC), a produção é em torno de 1,3 bilhão de litros por ano, sendo que cerca de 75% desse total é proveniente da fabricação industrial e 25%, da forma artesanal.

Desde que a cachaça é cachaça, sempre teve esse nome. Mas os que bebem, gostam de chamá-la de um jeitinho especial. Tem nome e criatividade pra todos os gostos. Aguardente, birita, cana, canha, caninha, pinga, branquinha, brasileira, boa, danada, malvada, Dona Branca e Sinhazinha são só alguns dos muitos apelidos da cachaça.

O "Caxixi", por exemplo, é a cachaça de péssima qualidade, a primeira a cair do alambique. A de mau gosto é chamada de "Aca".

Quando a cachaça transpõe fronteiras, nos Estados Unidos passa a se chamar "Sugar Cane Brandy"; na França "Eau de Vie" e na Alemanha, "Schna".